Dança das Cadeiras

Em maio, o mercado de feiras surpreendeu com o adeus de Ligia Amorim da direção geral da NürnbergMesse Brasil. Ligia passou o bastão a João Paulo Picolo, que, apesar de jovem, possui uma experiência de mais de 14 anos no setor de feiras, tendo passado por Nielsen, Informa Group e Reed Exhibitions Alcantara Machado.

No início de junho, a Reed Exhibitions Alcantara Machado anunciou também que Fernando Fischer assumirá como novo presidente no Brasil da promotora. Ao mesmo tempo, Juan Pablo De Vera, presidente antecessor, assumiu uma nova posição estratégica na região, como vice-presidente sênior de desenvolvimento de negócios para a América Latina.

Entre as novas funções de Juan está a responsabilidade de identificar e conduzir novas  oportunidades de receita e de crescimento para a RX Américas na região, incluindo fusões e aquisições.

Implosão

Desde o dia 20 de maio de 2015, o Centro de Convenções da Bahia, em Salvador, está interditado devido a falta de projetos e equipamentos de incêndio e pânico, como também de manutenção predial. Se no Carnaval a hotelaria sorri na Bahia, fora da temporada e datas festivas ela respira por aparelhos sem a ajuda do turismo de negócios. O reflexo é claro. Em maio, a taxa média de ocupação foi de 40,44%, que é a menor dos últimos cinco anos. Até quando?

Eventos Internacionais

A ICCA – International Congress and Convention Association divulgou o ranking dos destinos que mais realizam eventos internacionais associativos. Segundo os dados, o Brasil saiu do top 10 dos eventos. São Paulo, em 2015, contabilizou 12 eventos a mais que 2014, somando um total de 78 eventos internacionais e chegando à 29ª posição. A capital paulista está empatada com Vancouver e à frente de destinos consolidados, como Toronto, Santiago e Nova Iorque.

Este é o ponto?

Além de adquirir a feira Hospitalar, a UBM Brazil já demonstrou interesse em adquirir novos títulos no Brasil. Em recente entrevista ao Radar Television, o CEO global do Grupo NürnbergMesse, Peter Ottmann, contou que um dos pilares de crescimento da atuação de sua subsidiária brasileira virá por meio da compra de novos títulos. Agora, a Reed deslocou Juan Pablo para uma posição estratégica nesta área. Fica para reflexão.

Ele tentou de tudo

Crédito da foto: Adrian Dennis/AFP

Hoje fomos pego de surpresa com a saída da Inglaterra do Bloco Europeu. Em uma disputa acirrada foram registrados 17.410.742 de votos a favor da saída contra 16.141.242 que torciam pela permanência.

Por outro lado, David Cameron, primeiro-ministro britânico, fez de tudo para manter a Grã-Bretanha na União Europeia, e logo após a divulgação do resultado anunciou sua saída do cargo. Quem também lutou pela permanecia foi a primeira-ministra da Escócia, Nicola Sturgeon.

Muitas interrogações surgem nesse momento. O que isto irá acarretar na Europa? A decisão exercerá influencia para que outros países sigam o mesmo caminho?  O que isto irá afetar na relação dos países europeus com o resto do mundo? E para o Brasil?

 

 

Mudanças na Reed Exhibitions

A Reed Exhibitions Alcantara Machado (RXAM) apresentou recentemente seu novo presidente, Fernando Fischer, que chega para liderar a estratégia da promotora com foco no apoio aos setores e clientes, diversificação do portfólio, desenvolvimento de marcas fortes de eventos, além de abordagens inovadoras, como o reforço na expertise da empresa em geração de negócios efetivos por meio de ferramentas digitais.

Já seu antecessor, Juan Pablo de Vera, assume uma nova posição estratégica na região como Vice-Presidente Sênior de Desenvolvimento de Negócios para a América Latina da RX. Nos primeiros anos o executivo terá como foco a geração de novas oportunidades de negócios e parcerias, inclusive de agentes de fora do mercado, como empresas de tecnologia que queiram fazer produtos para as feiras.

Em sua nova posição, Juan Pablo irá fazer exatamente o que fez no Brasil, e aproveitar as potencialidades que Brasil e México oferecem neste setor. O executivo deixou em aberto ainda à possibilidade da companhia, no futuro, intensificar seus esforços também em outros países da América Latina.

PARABÉNS PARA VOCÊ

O Transamerica Expo Center completa 15 anos em agosto. Para chegar a este formato atual, o Transamerica passou por duas ampliações, em 2006 e 2012, com a construção de 10 mil m² em cada etapa, totalizando os 40 mil m² de hoje. Para atender à demanda atual, já está em fase de estudos uma nova ampliação. Desta vez, a construção de dois novos halls e de outros espaços somarão mais 15 mil m² ao complexo.

Apex tem novo presidente

A Apex (Agência de Promoção e Exportações do Brasil) conta com um novo presidente, o embaixador da China, Roberto Jaguaribe, que irá ocupar o lugar de David Barioni, ex-presidente da TAM.

A troca faz parte da mudança promovida pelo novo Ministro das Relações Exteriores, José Serra, que tirou a Apex do Ministério do Desenvolvimento e levou ao Itamaraty.

Apesar da notícia, a entrada de Jaguaribe ainda não foi anunciada, e Barioni continua exercendo sua função a frente da agência.

MERCADO DO EXTERIOR

Desde julho de 2015, o empresário Carlos Clur vem dividindo o seu tempo entre a presidência do Grupo Eletrolar e da Associação Latino-Americana de Eletroeletrônicos e Bens Duráveis (ALE). A associação tem como missão fomentar a exportação da indústria brasileira para o mercado latino-americano e promover a informação e a comunicação entre a indústria e o varejo do setor.

AGORA… OU NUNCA

É senso comum no setor que o Anhembi precisa passar por reformas urgentes para enfrentar a forte concorrência que possui de outros pavilhões da capital paulista. Mesmo com ajustes  aqui e ali, é muito pouco para fazer frente a grandes espaços como SP Expo, Expo Center Norte e Transamerica Expo Center.  O resultado surge em uma breve análise na agenda de eventos, em  2015, o pavilhão perdeu importantes eventos como: Salão do Automóvel, Automec e Equipotel e ABAV Expo.

Neste ano, a Feira Francal acontece no Anhembi, mas em 2017, ela também se mudará para o Expo Center Norte. Em 2016, a agenda do Anhembi contará ainda com grandes eventos que acontecem nestes próximos meses, como Fispal, Expo Music e Mecânica. A questão é saber até quando. Seria este esvaziamento a gota que falta para agilizarem os processos e, enfim, renovarem o pavilhão com apoio da iniciativa privada?